lundi 8 août 2011

Estudo Interreligioso - Programa

FACULDADE TEOLÓGICA BATISTA DE SÃO PAULO
mantida pelo Conselho Batista de Administração Teológica e Ministerial
R. João Ramalho 466 Perdizes – São Paulo / CEP – 05008 001
Telefone – 3865-3255
www.teologica.br


Estudo Interreligioso
CARGA HORÁRIA
PROFESSOR – Dr. JORGE PINHEIRO
SEMESTRE 2o. 2011

1.      EMENTA

O Estudo Interreligioso, enquanto estudo racional da experiência cristã e das religiões mundiais. Conceitos, cosmovisão e metodologia do Estudo Interreligioso. Abordagens e leituras das correlações com outras cosmovisões.

2.      OBJETIVOS

O estudo das correlações entre as religiões mundiais e o cristianismo é importante porque possibilita ao aluno abordar outras leituras da realidade. Isso permite aos futuros profissionais da teologia, sejam pastores, professores ou missionários, construir uma concepção de mundo que possibilite  o diálogo com outras formas de pensar, mas ao mesmo tempo permita ao aluno balizar teologicamente sua vida ministerial.

3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O propósito básico da apologética foi expresso por Pedro: “estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós” (1ª. Pedro 3.15). A apologética, então, é a resposta para perguntas e questões sobre a fé cristã, tanto as questões levantadas pelos próprios cristãos, como os questionamentos apresentados pelos não-crentes.

Agosto/ Setembro
A existência de Deus: os argumentos cosmológico, kalam, tomista, teleológico, axiológico e suas avaliações.

Outubro

A coerência do teismo: necessidade, assiedade, incorporeidade, onipresença, onisciência, simplicidade, imutabilidade, onipotência e suas avaliações.

Novembro/ Dezembro
O problema do mal e as doutrinas cristãs: Trindade, encarnação e o particularismo cristão e suas avaliações. 

4.      METODOLOGIA

Optamos por uma abordagem temática dos assuntos, sem descuidar da referência necessária à história dessa área da Teologia, que permita estabelecer o fio condutor da exposição dos temas. Isto porque fazer apologética não deve ser visto como atividade solitária, mas que se faz através do diálogo entre pensadores, igreja e fiéis quando expõem suas diferenças.

5.      RECURSOS

Audiovisuais.

6.      AVALIAÇÃO

Os alunos serão avaliados por sua participação em classe (peso 3), pelos seminários apresentados (peso 4) e por uma prova final (peso 3).

7.       BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BECKWITH, francis J., CRAIG, William L., e MORELAND, J. P., Ensaios Apologéticos, São Paulo, Hagnos, 2006.
Gouvea, Ricardo Quadros, org., vv.aa., O que eles estão falando da igreja, São Paulo, Fonte Editorial, 2011.
ZUCAL, Silvano (org.), Cristo na Filosofia Contemporânea, vol II, O século XX, São Paulo, Paulus, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Pinheiro, Jorge “Matei porque me pisou” e “Sobre o não-ser para viver o ser” in Teologia humana pra lá de humana, São Paulo, Fonte Editorial, 2010.
______________, “A doutrina da eleição – calvinismo, arminianismo e o equilíbrio da doutrina batista” in Revista Teológica, São Paulo, Ano 4, no. 5, 2008.
ROCHA, Alessandro, org., vv.aa., Ecumenismo para o século XXI, Paulo, Fonte Editorial, 2011
Santo Anselmo, Livre arbítrio e predestinação, uma conciliação entre a presciência e a graça divina, São Paulo, Fonte Editorial, 2006.

8.      DISTRIBUIÇÃO DE CARGA HORÁRIA - Exemplo
Atividade
Quantidd pp.
Prazo
Total

Uma leitura


50 páginas


A cada 4 semanas

200
Prova
01
No final do semestre
01
Seminários
01
A cada quinze dias um grupo de alunos apresentará seminário sobre tema definido. Todos os alunos participarão de um seminário durante o semestre.
01














Enregistrer un commentaire