vendredi 9 janvier 2015

Dois filhos, dois caminhos

Jorge Pinheiro

Foram os chefes dos sacerdotes que atiçaram o povo para pedir a Pilatos que soltasse Bar Abbas no lugar de Yehoshua, conforme conta o evangelista Marcos. Bar Abbas, filho do pai, filho de alguém... de quem não sabemos. Era de Japho, que fica ao sul de Cesaréia. Tinha a profissão de remador de botes e militava no partido zelote, que lutava contra a dominação romana. Seu grupo atuava com ataques curtos às legiões, como meio de fustigar as forças imperiais. Mas Bar Abbas foi preso após o ataque a um grupo de soldados romanos em Cafarnaum, onde um soldado romano foi morto no confronto. Foi então condenado à morte por assassinato.

O caminho de Bar Abbas é aquele onde a violência é a regra, ou como canta o salmo, é o daqueles que usam o orgulho como se fosse um colar e a violência como uma capa. E como diz Bamidbar, ao falar sobre o regime da vingança privada, se o sangue profana a terra, a única maneira de purificar a terra do sangue derramado é derramar o sangue  daquele que o derramou. E isso é feito pelo go’el, que é o protetor da família.

Mas Yehoshua era diferente de Bar Abbas, e isso conta Matitiahu num pequeno relato. Yehoshua estendeu a mão, segurou Petros e disse como é pequena a sua fé! Por que você duvidou? Então os dois subiram no barco, e o vento se acalmou. E os discípulos adoraram a Yehoshua dizendo, de fato, o senhor é o filho de Deus!

O caminho com Yehoshua é aquele que ele disse deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou. Não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo.


Por isso há dois filhos e dois caminhos. O do Yehoshua é o do entrem pela porta estreita porque a porta larga e o caminho fácil levam para sheol, e há muitas pessoas que andam por esse caminho. A porta estreita e o caminho difícil levam para a vida, e poucas pessoas encontram esse caminho.


Enregistrer un commentaire