samedi 20 juin 2015

A desvendar o período inter-bíblico

Ementa

As relações entre memória, oralidade e escrita na história de Israel são complexas e dificultam uma leitura simples da religião de Israel. Por isso, em nosso curso vamos analisar três grandes ciclos que caminham da memória oral à memória escrita. Podemos dizer que de Abraão até Moisés e a fuga do Egito temos memória oral, cujos liames são a identidade étnica individual e coletiva. Do deslocamento no deserto até a monarquia temos um ciclo que combina oralidade com memória escrita. Neste ciclo, as lembranças e as histórias são contadas, as idéias que estão na cabeça são gravadas. Começa, assim, a nascer, de fato, uma história com suas peculiaridades, mas não há uma linearidade na produção dessa história, já que é registro de lembrança dos fatos do passado, vividos por pessoas e comunidades em diferentes tempos, mas também da oralidade profética que vão sendo registrados, muitos deles, em sua contemporaneidade. A partir da volta da diáspora babilônica, com Esdras e Neemias até o surgimento do cristianismo, estamos diante de um terceiro ciclo onde predominou a memória escrita, com sinagogas, escribas e a leitura semanal dos rolos da Torah. A memória, matéria prima da história é, durante este último ciclo, produzida como campo de poder, evidenciados claramente na construção do judaísmo em sua disputa com o helenismo, mas também no deslocamento da pregação profética. Assim, a memória escrita produziu dois fenômenos na história de Israel: matou a oralidade profética e possibilitou o assenhoramento da história pela hierarquia político-religiosa. É esse fenômeno, riquíssimo, que queremos estudar no que chamamos de período intertestamentario ou interbiblico.

Objetivo da disciplina
Preparar o aluno para entender os elementos formadores do cristianismo, presentes no período anterior à entrada do império romano na história de Israel.

Metodologia
Aulas expositivas, debates, leitura de textos históricos da religião de Israel e filmes.

Avaliação
Aula sobre tema previamente estabelecido e resenha de capitulo.

Bibliografia
Pinheiro, Jorge, História e religião de Israel, origens e crise do pensamento judaico, São Paulo, editora Vida, 2007.
Scardelai, Donizete, Da religião bíblica ao judaísmo rabínico, origens da religião de Israel e seus desdobramentos na historio do povo judeu, São Paulo, Paulus, 2008.

Bibliografia complementar
Beek, M. A., História de Israel, Zahar Editores, Rio de Janeiro, 1967.
Berger, Klaus, Qumran e Jesus, Editora Vozes, Petrópolis, 1994.
Saulnier, C., A Revolta dos Macabeus, Edições Paulinas, São Paulo, 1983.
Schillebeeckx, E., Iersel, B. Van, Revelação e Experiência (A Fé entre a Razão e a Vivência), Editora Vozes, Petrópolis, 1978.
Schultz, Samuel J., A História de Israel no Antigo Testamento, Edições Vida Nova, São Paulo, 1992.
Scott, R. B. Y., Os Profetas de Israel, nossos contemporâneos, ASTE, São Paulo, 1968.
Sellin, Fohrer, Introdução ao Antigo Testamento, Edições Paulinas, São Paulo, 1983.
Seltzer, Robert M., Povo Judeu, Pensamento Judeu, A. Koogan Editor, Rio de Janeiro, 1990.
Shedd, Russell, A Justiça Social e a Interpretação da Bíblia, Edições Vida Nova, São Paulo, 1993.