jeudi 17 novembre 2016

Culpa e ofensa

Culpa e ofensa na família


O que é culpa, o que é ofensa? Quando é que nos tornamos culpados e ofendemos? Tem culpa ou é culpado aquele que tem uma conduta negligente que causa dano. É culpado aquele que falta voluntariamente a uma obrigação. Por isso, culpa é sinônimo de delito e crime. E biblicamente culpa é sinônimo de transgressão da vontade de Deus, quer em relação direta ao próprio, quer em relação ao nosso próximo. É sempre pecado. E ofensa é afronta, desconsideração, injúria. É também postergar responsabilidade, violar mandamentos e, por extensão, também é transgressão e pecado. Assim, somos culpados quando mascaramos a verdade, quando manipulamos pessoas e fugimos às nossas responsabilidades. E, infelizmente, estes são padrões negativos que o mundo nos aconselha a levar para casa.

1. Traição e culpa: temos o triste exemplo de Judas Iscariotes (Mateus 27.3-5). “Quando Judas, o traidor, viu que Jesus havia sido condenado, sentiu remorso e foi devolver as trinta moedas de prata aos chefes dos sacerdotes e aos líderes judeus, dizendo: - Eu pequei, entregando à morte um homem inocente. Eles responderam: - O que é que nós temos com isso? O problema é seu. Então Judas jogou o dinheiro para dentro do Templo e saiu. Depois foi e se enforcou”.

Traição é o crime de quem, perfidamente, entrega, denuncia ou vende alguém ou alguma coisa ao inimigo. É perfídia, deslealdade e infidelidade. Judas traiu o sangue inocente. Pecou e foi se enforcar. Segundo Atos 1.18, cheio de remorso, quando se enforcou, a corda rompeu-se e Judas caiu no abismo, tendo as entranhas derramadas no solo. Culpa sem arrependimento, é remorso e leva à morte.

2. Traição e arrependimento: temos o exemplo de Pedro, o pescador (João 21.15-17). “Quando eles acabaram de comer, Jesus perguntou a Simão Pedro: - Simão, filho de João, você me ama mais do que estes outros me amam? - Sim, o senhor sabe que eu o amo, Senhor! - respondeu ele. Então Jesus lhe disse: - Tome conta das minhas ovelhas! E perguntou pela segunda vez: - Simão, filho de João, você me ama? Pedro respondeu: - Sim, o senhor sabe que eu o amo, Senhor! E Jesus lhe disse outra vez: - Tome conta das minhas ovelhas! E perguntou pela terceira vez: - Simão, filho de João, você me ama? Então Pedro ficou triste por Jesus ter perguntado três vezes: "Você me ama?" E respondeu: - O senhor sabe tudo e sabe que eu o amo, Senhor! E Jesus ordenou: - Tome conta das minhas ovelhas”. Neste diálogo vemos o arrependimento de Pedro e o perdão de Jesus.

Arrependimento é contrição, profunda insatisfação pela nossa conduta moral. Por isso, o arrependimento leva à aceitação do castigo e à disposição de não repetir o erro. E o perdão de Jesus é um perdão para a ação: cuida das minhas ovelhas!

3. Arrependimento e perdão: o conselho do apóstolo João (IJoão 1.8-9): “Se dizemos que não temos pecados, estamos nos enganando, e não há verdade em nós. Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade”.

Quando há arrependimento e reconhecimento de nossas faltas e ofensas, Deus é fiel e justo para nos perdoar os pecados. E é a partir daí que devemos voltar a um relacionamento de amor e parceria com nossos familiares.

Do seu pastor e amigo, Jorge Pinheiro.


Enregistrer un commentaire