samedi 15 juillet 2017

Alegria infinita e eterna

Como é que as pessoas que abandonaram a fé podem se arrepender de novo? Elas já estavam na luz de Deus. Já haviam experimentado o dom do céu e recebido a sua parte do Espírito Santo. (5) Já haviam conhecido por experiência que a palavra de Deus é boa e tinham experimentado os poderes do mundo que há de vir. (6) Mas depois abandonaram a fé. É impossível levar essas pessoas a se arrependerem de novo, pois estão crucificando outra vez o Filho de Deus e zombando publicamente dele. (7) Deus abençoa a terra que recebe a chuva, a qual muitas vezes cai sobre ela e produz plantas úteis para aqueles que trabalham nela. (8) Mas a terra que produz mato e espinhos não serve para nada; ela corre o perigo de ser amaldiçoada por Deus e acaba sendo queimada”. (Hebreus 6.4-8).

Quem aceitou a Cristo como salvador e senhor e vive sua vontade não é uma pessoa piedosa, que foi à frente diante do apelo do pastor, ou cresceu numa família cristã. Tudo isso pode fazer parte da experiência, não é isso o que faz um cristão. É uma pessoa que recebeu a Cristo, através da fé, e ao aceitar a graça derramada fez dele seu Senhor e Salvador (João 3:16; Atos 16:31; Efésios 2:8-9).

Redenção que liberta

Quem aceitou a Cristo e foi regenerado é uma nova criação. “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; {criatura; ou criação} as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” (2 Coríntios 5:17). Esse versículo está falando de uma pessoa que se torna uma criatura completamente nova como resultado do estar em Cristo. Para um cristão perder salvação, a nova criação teria que ser cancelada. Deus deveria abortar a sua criação.

É uma pessoa redimida, pois “não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula” (1 Pedro 1:18-19). A palavra redimido (resgatado) significa a uma compra feita, com preço pago. Para um cristão perder a salvação, Deus mesmo deveria devolver a compra que foi paga com o sangue de Cristo. 

É justificado. “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo” (Romanos 5:1). Justificar significa declarar justo. Todo aquele que recebe a Jesus como Salvador é declarado justo por Deus. Para um cristão perder salvação, Deus teria que negar a sua declaração. 

E tem a promessa da vida eterna. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Esta é uma promessa de eternidade (para sempre) com Deus. Deus diz que para acreditarmos e assim alcançaremos a vida eterna. Para um cristão perder salvação, Deus deveria quebrar sua promessa e retirar a vida eterna.

E como presente eterno tem a garantia da glorificação. “E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou” (Romanos 8:30). Como aprendemos em Romanos 5:1, a justificação é declarada no momento da fé. De acordo com Romanos 8:30, a glorificação é garantida a todos a quem Deus justifica. Esse termo se refere a um cristão recebendo um corpo de ressurreição perfeito. Se um cristão pode perder a salvação, então Romanos 8:30 não é bem assim, porque Deus não garantiria a glorificação dos que Ele predestinou, chamou e justificou. 

Triunfo que liberta

As escrituras sagradas nos dizem que uma pessoa ao receber a Jesus Cristo como Senhor e Salvador não pode ter a salvação revertida. Um cristão não pode deixar de ser uma nova criatura. A redenção não pode ser desfeita. A vida eterna não pode ser perdida.

As objeções frequentes à doutrina cristã de que um cristão não pode perder a salvação são as seguintes: (1) o que dizer sobre aqueles que são cristãos e estão vivendo continuamente em um estilo de vida imoral? e (2) o que dizer daqueles que são cristãos mas rejeitam a fé e negam a Cristo? O problema com essas duas objeções é a suposição de que essas pessoas são cristãs. 

As escrituras sagradas dizem que um cristão não vai viver continuamente em um estilo de vida imoral (1 João 3:6). A Bíblia declara que aquele que abandona a fé demonstra que nunca foi cristão de fato (1 João 2:19). 

Se o verbo "recair" ou a expressão “perder a fé” que encontramos em Hebreus quer dizer pecar, então, ninguém jamais recebeu a salvação. E ninguém terá a salvação, porque quem não peca? Qual o crente que não peca? A Bíblia admite essa possibilidade (Prov. 24:16) e em suas páginas encontramos pecados dos discípulos de Cristo: Pedro pecou ao negar a Jesus.

Caso aceitemos que Pedro ao pecar apostatou, numa interpretação equivocada de Hebreus 6:4-8, teria sido impossível ele ser outra vez renovado pelo arrependimento.

Mais tarde também, Pedro cometeu pecado. E isso aconteceu depois dele ter presenciado várias vezes a manifestação do poder de Deus, inclusive na ressurreição de Tabita. E por causa do seu pecado foi repreendido pelo apóstolo Paulo (Gal.2:11).

Caso se admita a interpretação de apostasia/ perda da salvação, nem [mesmo] Pedro teria sido salvo. Tal interpretação de Hebreus, quando dirigida aos cristãos apresenta o sacrifício de Cristo como ineficaz. Mas, o texto de Hebreus, no entanto, não trata de crentes. Graças a Deus!

No capítulo anterior da carta aos Hebreus vemos que foi endereçada a três destinatários diferentes: aos cristãos, aos acomodados e aos nominais, ou seja, aos falsos irmãos (2Cor.11:26). Nos três últimos versos do capítulo cinco de Hebreus, a carta menciona os negligentes/ acomodados, sempre necessitados de leite, e os nominais/ falsos irmãos, que antes foram iluminados, mas não aceitaram a luz (6:4-6).

Nesses versículos dirigidos aos falsos irmãos a carta aos Hebreus não fala do que está acontecendo, mas do que aconteceu, foram iluminados, provaram, se fizeram, crucificaram, expuseram. Ao finalizar sua advertência aos que quase creram, a partir do v.9 volta a se dirigir aos cristãos (6:10). Dirigindo-se a estes que vivem Cristo a carta aos Hebreus exorta a que prossigamos (6:1).

No quadro de Hebreus 6 vemos duas categorias de pessoas: os cristãos e os nominais. Entre o versículo 1 e os versos 4-8, há uma profunda diferença de experiência. Os nominais ou falsos irmãos gozam de oportunidades, mas não se deixaram transformar, pois não aceitaram dar o passo da conversão de suas vidas.

Um cristão não perde a salvação. Nada separa um cristão do amor de Deus (Romanos 8:38-39). Nada remove um cristão da mão de Deus (João 10:28-29). Deus está disposto, garante e mantem a salvação que nos prometeu. Ou como afirma a carta de Judas 24-25: 

Deus pode evitar que vocês caiam e pode apresentá-los sem defeito e cheios de alegria na sua gloriosa presença. Por meio de Jesus Cristo, o nosso Senhor, louvemos o único Deus, o nosso Salvador, a quem pertencem a glória, a grandeza, o poder e a autoridade, desde todos os tempos, agora e para sempre! Amém!



Enregistrer un commentaire